terça-feira, 27 de setembro de 2016

Bombeiro auxilia parto de emergência em domicílio

Bebê nas mãos de militar do Corpo de Bombeiros, que participa da ação. Foto: Divulgação
 
Um atendimento especial foi realizado por uma equipe composta por agentes do SAMU e do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (PMMA), no último sábado (24). Uma mulher de 31 anos, que estava grávida, entrou em estado de parto quando se aproximava do domicílio de um familiar no bairro do São Francisco.
A equipe, formada por agentes das duas instituições, foi acionada quando usava uma ambulância que, normalmente, atende ocorrências de pacientes psiquiátricos. De acordo com o 3º Sargento do CBMMA, C. Roberto, que participou do atendimento, eles encontraram a mulher sentada em um sofá. “O Bebê já estava nascendo, nós auxiliamos a retirada da criança, fizemos o corte do cordão umbilical e realizamos todo o procedimento de assepsia”, declarou o bombeiro.
O bebê, uma menina, ganhou logo o conforto nos braços da sua mãe. Já na ambulância, foram levadas com segurança até a Santa Casa, onde receberam os cuidados médicos necessários. Segundo os bombeiros, casos semelhantes acontecem com certa frequência, mas, auxiliar um nascimento de um bebê é sempre uma ocorrência bastante emocionante, mesmo para qualquer resgatista experiente.

Zé Inácio participa de assinatura da ordem de serviço para construção da ponte Rio Pericumã


O deputado Zé Inácio esteve na manhã desta terça-feira (27), no município de Bequimão, para participar da assinatura da Ordem de Serviço para início das obras de construção da ponte sobre o Rio Pericumã, realizada pelo governador do Estado, Flávio Dino. A ponte Rio Pericumã ligará as cidades de Central do Maranhão e Bequimão.
A solenidade de assinatura teve início às 9 horas, na Ilha do Vaquejador, região às margens do Rio Pericumã, e contou com a presença de representantes da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra). “A ponte fará com que a economia daquela região possa circular de forma mais intensa, bem como o acesso à capital São Luís se dê de forma mais rápida”, afirmou o deputado.
De acordo com o secretário adjunto de Obras Rodoviárias da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), Samuel Gonçalves, a ponte terá estrutura mista, composta de concreto e aço, com vigas metálicas. A escolha do material foi feita a partir de estudos técnicos e levantamento do tipo de solo que, no caso do Rio Pericumã, apresenta uma profundidade de 25 metros.
O deputado parabenizou o trabalho de Flávio Dino, enquanto Governador do Estado. Para ele, “Flávio Dino entrará para a história da Baixada como o governador que fará uma das maiores obras daquela região nas últimas décadas”.
Zé Inácio também tratou sobre a importância da obra para a região. “Esta obra beneficiará, além das cidades de Bequimão e Central do Maranhão, dez municípios que fazem parte do Litoral Ocidental, de maneira direta”, enfatizou.
Sobre a Ponte Rio Pericumã
A Ponte do Rio Pericumã ligará os municípios de Central do Maranhão e Bequimão, na Baixada Maranhense. As obras, que terão início ainda neste semestre, tem previsão de duração de dois anos. A nova conexão, que terá em média 600 metros, é uma obra prioritária do Governo do Maranhão. Localizada na MA-211, a ponte reduzirá em até 125 km o percurso da região para a capital.

Sob risco de prisão, Rodrigo Maia devolve processo usado para atacar Wellington

Chefe da PGE ainda pode parar na cadeia por retenção dos autos. Entrega foi feita após decisão judicial, mas fora do prazo

Rodrigo Maia devolveu os autos por força de um mandado de busca e apreensão contra o Estado
Rodrigo Maia devolveu os autos por força de um mandado de busca e apreensão contra o Estado
O procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia Rocha, devolveu o processo de um terreno localizado nas proximidades da Via Expressa, em São Luís, utilizado pelo Palácio dos Leões e pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) para atacar o candidato a prefeito pela coligação “Por Amor a São Luís”, Wellington 11 (PP).
A devolução foi feita no final da manhã desta terça-feira 27, após Maia ser informado do recebimento, ontem 26, na PGE, de um mandado de busca e apreensão contra o Estado, por meio de sua pessoa, para devolver os autos do processo.
Caso não obedecesse a ordem judicial, o chefe da PGE poderia ser preso pelo crime de retenção de autos, podendo levar de seis meses a três anos de cadeia, além de condenado ao pagamento de multa. Contudo, ainda que tenha devolvido os autos por força judicial, o procurador-geral ainda pode ser indiciado pela polícia e ser condenado à mesma pena por ter devolvido a documentação fora do prazo determinado.
O pedido de instauração de inquérito policial contra ele pode ser requisitado pela própria polícia ou pela Justiça, além de ser encaminhado para a Seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para que sejam apuradas e julgadas pelo Tribunal de Ética da instituição, segundo uma determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
A ação abusiva de Rodrigo Maia aponta ainda para o uso claro da máquina pública estadual em favor do candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) e o uso da estrutura do governo para fazer fato político em perseguição a um adversário, no caso Wellington, já que Rodrigo Maia agiu dolosamente, isto é, com vontade livre e consciente de prejudicar o progressista.
Isso acontece porque esse processo não deveria estar na PGE desde o início, já que o prazo era comum entre as partes. De acordo com o CPC (Código do Processo Civil), quando isso ocorre, a lei determina que o processo tem de ficar na Serventia Judicial para consulta das partes. Neste sentido, a conduta de Maia, segundo o Artigo 356 do CPC, caracteriza crime de sonegação de papel ou objeto de valor probatório.

Diabética é obrigada a comprar material para fazer curativo em unidade mista gerida por Edivaldo

Um vídeo gravado por uma paciente diabética escancara o descaso com a saúde pública municipal na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que mesmo bombardeado por sucessivas denúncias, mantém firme sua candidatura à reeleição. Ao procurar a Unidade Mista do Bequimão para fazer um curativo no pé esquerdo, parcialmente amputado em consequência da doença, ela não foi atendida porque no local não havia material hospitalar nem água.

Temendo uma infecção, ela gastou dinheiro do próprio bolso para comprar atadura, óleo, esparadrapo, gaze e até um par de luvas. Na esperança de fazer o curativo, ela voltou à unidade mista com os itens, mas teve o tratamento negado novamente. Dessa vez, a desculpa foi de que não havia água para lavar o ferimento.
Em meio à agonia, a paciente denuncia o desprezo à vida humana na administração do prefeito pedetista, apoiado por comunistas. “Ainda tem pessoa que vai votar para um infeliz desse, que está afundando São Luís, que vive mentindo”, protesta. Assista:

Pesquisas apontam vitória de França em Santa Luzia e Zé Hélio em Paraibano

Em pesquisa registrada pelo sistema PesqEle do TSE nº MA 06611/2016, no dia 19 de setembro e divulgada ontem (25), a candidata à prefeita França do Macaquinho, do Partido Progressista (PP-MA), desponta como favorita na disputa eleitoral de Santa Luzia. O levantamento ocorreu entre os dias 12 e 14 de setembro 2016.Na pesquisa estimulada, quando os nomes dos candidatos são citados, França do Macaquinho (PP-MA) aparece com 54,8% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece Airton (DEM-MA) com 32,1%, seguido por Leonardo Gomes (PSOL-MA) com 3,5% e Flávio do Posto (PR-MA) com 2,6%. Já 4,2% afirmaram não votar em nenhum dos candidatos e 2,9% Não Sabem ou Não Responderam.
Já no município de Paraibano, a pesquisa da Escutec/O Estado, com registro de protocolo MA-01923/2016, divulgada nesta segunda-feira (26), mostra que o candidato Zé Hélio (PT-MA) lidera com folga a disputa eleitoral em Paraibano. Segundo o levantamento, se a eleição fosse hoje ele teria 57% das intenções de voto. Rejany Gomes (PSC-MA) aparece na pesquisa em segundo lugar com 34,8%, enquanto 5,6% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos. As pessoas que não sabem ou não responderam foram equivalentes a 2,6%. O levantamento foi encomendado pelo jornal O Estado e ouviu 302 eleitores, entre os dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro é de cinco pontos percentuais, para mais, ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.