sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Municípios ‘Mais IDH’ recebem ação inédita para prevenção de brucelose

Criadores e tratadores de gado de Lagoa Grande receberam treinamento para vacinar bezerras contra brucelose. Foto: Divulgação
 
Para avançar no controle da brucelose bovina no Maranhão e garantir uma produção leiteira livre das bactérias Brucellaabortus, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) está promovendo, pela primeira vez, a capacitação de vacinadores contra brucelose e o dia “D” de vacinação contra a doença nos três municípios do programa ‘Mais IDH’, situados na Unidade Regional de Pedreiras.
De 23 de agosto a 03 de setembro, mais de 300 bezerras de 3 a 8 meses de idade serão vacinadas, por meio de uma parceria com a Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), com as Prefeituras Municipais, Câmaras de Vereadores e Sindicados de Lagoa Grande, São Roberto e São Raimundo do Doca Bezerra.
De acordo com o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, a expectativa é de que a ação nos municípios de Lagoa Grande do Maranhão, São Roberto e São Raimundo do Doca Bezerra sirva como um projeto piloto para que a mesma iniciativa seja repetida nos outros 27 municípios do programa ‘Mais IDH’.
“Desde que o governador Flávio Dino lançou o programa ‘Mais IDH’, nós nos preocupamos em contribuir com ele, já que visa beneficiar os menos favorecidos do Maranhão. Esse programa de treinamento de vacinadores contra brucelose é justamente para apoiar os pequenos criadores para que eles possam vacinar suas bezerras”, destaca.
O chefe da Regional Pedreiras da Aged, Robert Ferreira Carvalho, conta que a ação foi concebida tendo em vista a carência de mão de obra qualificada para realizar esta atividade junto aos pequenos criadores.
“Esta enfermidade é responsável por enormes perdas econômicas para a pecuária e por agravos à saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde é uma zoonose subdiagnosticada e subnotificada em humanos”, alerta o veterinário.
A brucelose é uma doença contagiosa que acomete principalmente o sistema reprodutivo de bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e outros. Além de estar relacionada com a diminuição da produção de carne e leite, abortos e nascimento de crias fracas, ela é considerada uma zoonose, isto é, uma enfermidade que também pode ser transmitida ao homem.
A infecção ocorre quando se entra em contato direto com animais doentes ou se ingere leite não pasteurizado, produtos lácteos contaminados (queijo e manteiga, por exemplo) e carne mal passada. As chances de adquirir a doença são ainda maiores em meio aos tratadores de animais.
“Quando a gente faz o treinamento para vacinadores, nós focamos bem na importância do uso dos EPIs e de alguns cuidados, como forma de proteger o vacinador para que ele não pegue brucelose, visto que a vacina é com a bactéria viva. Por isso, a vacinação da brucelose é diferenciada”, explica a veterinária da Aged, Ana Cláudia Costa.
Casos registrados
Segundo dados do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT/MA), em 2015, dos 43.316 bovinos examinados para brucelose, 656 animais tiveram o diagnóstico confirmado. “O número, apesar de alto, revela um aspecto positivo: o de que a vigilância está sendo feita. Os animais estão sendo examinados e está sendo feito o controle, uma vez que todos os animais positivos são sacrificados”, avalia Ana Cláudia.

Governo assume reforma do Mercado da Cidade Operária

Equipes da Sagrima, MP, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros visitaram as instalações da feira. Foto: Divulgação
 
O Governo do Estado assume, a partir de agosto, a gestão e reforma do Hortomercado da Cidade Operária. Na terça-feira (23), representantes da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Ministério Público (MP), Corpo de Bombeiros e Defesa Civil visitaram as instalações do mercado, para emissão dos laudos necessários à finalização do projeto.
Ao todo, são quase 800 comerciantes no mercado da Cidade Operária. Dona Iaci Pinheiro faz parte da Associação de Feirantes desde 2000 e explica a situação. “Cheguei aqui há 16 anos e meu primeiro serviço aqui foi fazer um ofício pedindo a reforma da feira e de lá pra cá nunca foi feito nada de concreto. O piso, a pintura, foram coisas feitas por feirantes mesmo. Agora, tomara que a reforma se torne realidade”.
Entre os problemas encontrados estão falta de ponto de água nos boxes, refrigeração e acondicionamento inadequado de alimentos, estrutura física deteriorada, problemas no telhado e de esgoto e acúmulo de água e de resíduos, além da violência em alguns pontos da feira. De acordo com Márcio Honaiser, secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, a intervenção do Governo do Estado acontecerá em diversos âmbitos. “É necessária atuação não só na infraestrutura, como na sanidade e na segurança do mercado, para que feirantes e usuários tenham as condições básicas para transitar, comercializar e adquirir produtos de maneira adequada”, disse.
Para Moisés Cardoso, feirante, é o fim de um período de mais de 30 anos de descaso, sujeira e violência. “Com o passar do tempo, a feira foi se expandindo para a rua, e há 20 anos nós temos brigado por uma reforma geral. Graças a Deus, o governo atendeu nossas reivindicações e já está iniciando algumas coisas, como essas avaliações. Eu creio que agora vai sair e agradeço o empenho do governador, da Sagrima e de todos que estão à frente desse trabalho”, disse.

CÉREBRO, MÍDIA E JOGOS OLÍMPICOS SÃO TEMAS DE WORKSHOP



SÃO LUÍS - Acontece hoje (26), das 14h às 18h, no miniauditório (109/110) do Paulo Freire da Cidade Universitária Dom Delgado, o VI Workshop de Neurociência, promovido semestralmente pelo Núcleo de Estudos/Pesquisa e Análise Social do Movimento Humano - NEPAS.
O Workshop objetiva compreender a pesquisa em neurociência no seio da comunidade acadêmica e educativa, por meios de debates, rodas de conversa, apresentação de trabalhos e pesquisas no campo da neuroeducação que tenham implicações para a prática educativa e assim proporcionar um fórum ampliado de discussões para as questões e controvérsias inerentes a estes dois campos.
Em conjunto acontecerá a II Semana do Cérebro, evento anual também desenvolvido pelo NEPAS, através dos membros do grupo de estudo Cérebro, educação e movimento e pelos alunos da disciplina Fundamentos Neurofuncionais da Atividade Física, com o intuito de discutir o impacto dos avanços da neurociência em vários campos do conhecimento como a filosofia, educação, ética, entre outros; através de atividades diversas dentro e fora da UFMA. 
Programação:
14h- Torcedor fanático e o sistema de recompensa- Acadêmicos Tiago Bezerra/ Antônio Marcos
14h- Neuromarketing e exercício físico-Acadêmicos Reis/ Thaylan
15h- Exercício Físico e atividade cerebral- Acadêmicos Maria Oneide/ Carlos Eduardo
15h30- Geopolíticas e olimpíadas: o jogo do poder- Acadêmico Ronald
16h- Mesa Redonda- Olimpismo, Fair Play e doping: Até quando?
Prof. Olivar Leite, prof. Richard Leite, prof. Tarcísio Ferreira (Mediador)

Fábio Braga destaca a importância do vaqueiro no cenário econômico e cultural do Brasil e do Maranhão

 
O deputado Fábio Braga (SD) destacou na Assembleia Legislativa, a importância do vaqueiro no cenário econômico e cultural do Brasil e do Estado do Maranhão.  O parlamentar é o autor da lei, aprovada por unanimidade no poder Legislativo Estadual e sancionada pelo governo, instituindo o Dia do Vaqueiro Maranhense. A comemoração da data é no dia 22 de agosto.
Ao comemorar a sanção da lei, Fábio Braga reconheceu que com a criação do Dia do Vaqueiro Maranhense, o governo e todos os 42 deputados com assento na Assembleia homenagearam os bravos e destemidos cidadãos maranhenses, cuja labuta diária é o manejo e condução de espécies animais bovinos, bufalinos, equinos, muares, caprinos e ovinos.
Para Fábio Braga, foi uma justa homenagem a esses homens, tipos étnicos, que merecem um dia para comemorar, pois o vaqueiro é a figura central da fazenda, e se destaca como um homem destemido que desempenha um trabalho árduo e contínuo, pois passa a maior parte do tempo montado a cavalo percorrendo a fazenda, vigiando as espécies de animais e fiscalizando.
SANTO VAQUEIRO 
O parlamentar ressaltou que o Dia do Vaqueiro Maranhense é também uma homenagem ao Santo Vaqueiro São Raimundo Nonato dos Mulundus, festejado por milhares de devotos do Maranhão e do Brasil no período de 22 a 31 de agosto na cidade de Vargem Grande. O deputado esteve presente na festa em homenagem aos vaqueiros.
A história conta que Raimundo Nonato era um vaqueiro do povoado de Mulundus, no município de Vargem Grande, e teria morrido na lida para pegar o gado na caatinga e, com o passar dos tempos, levou fama de milagreiro na região. O peão foi transformado em santo e venerado pelos escravos e moradores, após o milagre que salvou a vida do dono da fazenda.
Fábio Braga comentou que o ex-deputado federal maranhense Carlos Brandão foi o autor da Lei 11.928/2009, que instituiu o Dia do Vaqueiro Nordestino, comemorado anualmente no terceiro domingo do mês de julho. A celebração coincide com a Missa do Vaqueiro, marco do calendário sertanejo e manifestação de fé realizada anualmente no município de Serrita (PE).
                                  
VAQUEIRO PROFISSIONAL  
 
Na ocasião, o deputado Fábio Braga informou que a Lei 12.870, reconhecendo a atividade profissional de vaqueiro, de autoria dos ex-deputados Edigar Mão Branca e Edson Duarte, foi publicada no Diário Oficial da União. Aprovada em setembro pelo Senado, a lei foi sancionada no dia 15 de outubro de 2013, com um veto da então presidenta da República, Dilma Rousseff (PT).
 
De acordo com a lei, é considerado vaqueiro profissional quem trabalha em atividades de trato, manejo e condução de animais como bois, búfalos, cavalos, mulas, cabras e ovelhas. O trecho vetado dizia respeito à contratação dos serviços de vaqueiro, de responsabilidade do administrador do estabelecimento agropecuário, que em alguns casos poderiam ser injustiçados pela lei. 
 
Pela lei, a atribuição do vaqueiro é alimentar os animais, fazer a ordenha, treinar e preparar animais para eventos culturais e socioesportivos com a garantia de que não sejam submetidos a violência e, sob a orientação de veterinários e técnicos qualificados, e auxiliar com os cuidados necessários à reprodução das espécies. A contratação é de responsabilidade do administrador, proprietário ou não do estabelecimento agropecuário. 

PROJETO DA ORQUESTRA SINFÔNICA DA UFPB É APRESENTADO À REITORA PARA PARCERIA COM A UFMA


SÃO LUÍS - Uma parceria entre a Universidade Federal do Maranhão e a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba (OSUFPB) poderá resultar em benefícios para o curso de música.
A reitora Nair Portela recebeu hoje os professores Ulisses Silva, coordenador da OSUFPB, e o professor Leonardo Meira, coordenador do Laboratório de Música Aplicada (LAMUSI- UFPB) que apresentaram à reitora Nair Portela os projetos propostos ao BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e ao MEC (Ministério da Educação).
“Estamos aguardando a aprovação do BNDS para lançarmos os nossos projetos que vão desde intercâmbios, criação de residência artística universitária a provimento de instrumentos musicais. Essas ações devem garantir condições favoráveis aos estudantes de Música”, disse Leonardo Meira.
A orquestra da UFPB, até então, desenvolvia trabalhos que se restringiam a Paraíba, entre eles: concertos, sonatas, motetos,  oratórios, serenatas, cantatas e óperas. Ulisses Silva lembra que, em 2016, a orquestra externou suas atividades e para compartilhar suas experiências com outras instituições, a OSUFB realiza um tour pelas capitais do Brasil. “A ideia do tour pelo Brasil surgiu da necessidade de descentralizar as práticas da OSUFPB, divulgar as produções e servir, assim, de incentivo às demais universidades”, explicou.
O envolvimento da comunidade acadêmica em atividades artísticas na UFMA tem crescido. Através do Departamento de Assuntos Culturais (DAC), projetos como o “Mostre sua cara” e “Cine Guarnicê” fomentam o desenvolvimento artístico dos alunos.
Segundo a reitora Nair Portela, o resultado da associação entre as instituições deve alavancar os projetos constituídos e contribuir na produção musical do Maranhão. “Alguns projetos artísticos e culturais já são desenvolvidos na UFMA e esta parceria fortalecerá ainda mais as atividades. A expectativa é que este intercâmbio desperte o interesse pela arte e a cultura no estado”, disse.
A professora do curso de Música da UFMA, Mônica Luchese, fala que a parceria entre UFMA e UFPB é um marco para o curso de Música. Ela enfatiza que o Maranhão não tem muitos trabalhos voltados para projetos sociais na área da música e essa troca de experiências contribuirá para a formação de base que o curso precisa.
Em turnê pelas capitais do Brasil, a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba (OSUFP), presenteará São Luís com apresentações musicais. A data prevista para o concerto na cidade é em Abril de 2017.
Saiba mais
A OSUFPB pertencente ao Centro de Comunicação, Turismo e Artes, administrado pelo Laboratório de Música Aplicada LAMUSI e ligado aos Departamentos de Música e Educação Musical da instituição. A Orquestra tem finalidades pedagógicas que envolvem professores e alunos da UFPB, além de contribuir para a formação de plateia para o público pessoense. Atualmente conta com dezesseis músicos fixos e com a participação de professores e alunos dos cursos de música da UFPB, além de eventuais colaboradores voluntários da cena sinfônica paraibana.